Saúde

Janeiro Branco: É possível ter saúde mental no contexto em que vivemos? 

O mês de janeiro levanta a bandeira de uma campanha extremamente importante: os cuidados com a saúde mental. E a pergunta que fica no ar neste momento é: é possível ter saúde mental no contexto em que vivemos? A resposta para esta pergunta tem sido constantemente procurada por muitos que estão sofrendo com este período de pandemia

Apesar do nosso país sempre ser reconhecido por suas festas e um clima de muita alegria, mesmo antes da pandemia ele já ocupava o oitavo lugar no ranking da Organização Mundial da Saúde (OMS) no número absoluto de suicídios por ano, o que revela um cenário alarmante e que inspira muitos cuidados, pois este indicador reflete a fragilidade de nossa saúde mental, e o quanto devemos cuidar melhor de nós mesmos.

Além disso, possuímos uma alta estatística de casos de depressão e ansiedade

Origem da campanha Janeiro Branco 

Esta campanha surgiu em Uberlândia, e foi proposta pelo psicólogo Leonardo Abrahão. De acordo com o profissional “As pessoas pensam em futebol, novela e carnaval constantemente. Temos essas culturas. A humanidade desenvolveu nos anos 80 a cultura da saúde física. Essa é a lacuna que queremos suprir: a saúde mental. É trazer preocupações e reflexões, atenções e ações em nome da saúde mental. E para fazer isso é preciso chamar a atenção”, disse. 

O momento presente 

Existe um considerável número de pessoas que já retomaram suas rotinas de trabalho, estudo e até mesmo de lazer, que até alguns meses atrás não seriam possíveis, por conta do fechamento de praias, shoppings e demais espaços de entretenimento público.

Porém, muitas pessoas ainda estão em isolamento (total ou parcial) e enfrentam grandes consequências pelos impactos causados por este momento. Independente de estar ou não em isolamento, em todos os públicos, o adoecimento psíquico cresce de tal maneira, que concorre com as densas estatísticas relacionadas à COVID-19. E este processo pode deixar marcas profundas a longo prazo. 

Exemplos concretos 

Podemos citar diversos tipos de transtornos:

  • Ansiedade,
  • Depressão,
  • Transtornos alimentares,
  • Fobia social,
  • Negacionismo,
  • Síndrome do pânico,
  • Etc.

Todos eles já fazem parte do cotidiano de vida de muitas pessoas, mesmo antes dessa pandemia. 

Entretanto, o contexto atual acabou potencializando problemas que, para alguns, já estavam sob o devido controle. E não apenas esta situação de maneira isolada, mas as questões sócio-econômicas, desemprego em alta, problemas políticos, a intensa carga de notícias relacionadas ao Coronavírus, etc. Tudo contribui para um adoecimento mental coletivo. 

A exposição midiática dos números acaba potencializando este problema: novos números de novos casos de COVID-19, número de óbitos, taxa de desemprego em alta; além disso, temos que conviver com os números que já são familiares antes mesmo do advento desta pandemia: violência contra a mulher, contra negros, homicídios, feminicídios, roubos, catástrofes naturais, acidentes, etc. 

Como preservar a minha saúde mental? 

Diante de um cenário assim, devemos triplicar todos os nossos cuidados, não apenas com nosso corpo, mas principalmente com nossa mente, que é o principal motor de todas as nossas ações. Diante desta realidade, é importante nos atentarmos para algumas atividades que podem contribuir para uma mente mais saudável: 

  • Evite sobrecarregar a mente com excessos de informações 

É importante estar atualizado quanto às notícias do país e até mesmo do mundo, mas o excesso de notícias de alto impacto pode bloquear nosso raciocínio crítico e expandir ainda mais nossa ansiedade.

  • Pratique exercícios e cuide da alimentação 

Nossa mente e nosso corpo trabalham em equipe. Quando um dos dois não está bem o outro, consequentemente, também não estará. É uma reação sistêmica que podemos combater com práticas saudáveis de exercícios físicos e uma dieta mais equilibrada e apropriada. 

  • Fique perto de quem você ama 

Para alguns pode parecer até um contra senso, orientar para aproximação, quando a palavra da vez é “isolamento” ou “distanciamento”. Porém, tomando os devidos cuidados e providências relacionadas à saúde, proteção e higiene, estar perto de quem amamos é algo que nutre a nossa alma, fazendo com que a mente produza mais endorfina (hormônio responsável por melhorar nosso humor, dentre outras coisas). 

  • Valorize e tenha mais momentos de lazer 

A nossa mente também precisa ser oxigenada com momentos de alegria e diversão, ao lado de nossa família e/ou amigos. É importante que cada um destes momentos seja aproveitado com a máxima intensidade, e que jamais se tornem banais. Precisamos muitas vezes dar uma pausa na rotina intensa de trabalhos, na correria do dia a dia, para curtirmos momentos mais simples, porém divertidos. 

  • Priorize uma boa noite de sono 

Como uma bateria, nosso corpo e nossa mente precisam ser recarregados de maneira adequada. Desta forma, devemos respeitar o tempo que precisamos para ter um sono de qualidade. Apesar de haver uma recomendação geral de uma média de 8 horas de sono, este período é relativo ao nosso “relógio biológico”. Algumas pessoas se sentem plenamente descansadas com 5 horas de sono, outras, precisam de 8 a 9 horas.

Dormir mal ou pouco, pode acarretar em um dia improdutivo, em humor mais irritado, o que pode gerar um ciclo de estresse, brigas e problemas que poderiam ter sido previamente evitados. 

Impactos e perspectivas futuras 

O nosso corpo trabalha de maneira integrada com nossa mente. Desta forma, os problemas psicossociais têm o poder de afetar todo nosso sistema imunológico, baixando as nossas defesas e nos deixando vulneráveis à diversos tipos de doenças.

O grande desafio, não consiste em evitar a dor, o sofrimento, e os pensamentos acelerados, mas em saber lidar com eles de maneira que os agentes externos não tenham tanto poder e influência sobre nossa saúde mental. 

Adaptar o nosso modelo cognitivo para adotar uma linha de raciocínio mais positiva e otimista diante de uma realidade caótica, é extremamente importante para que possamos atravessar esta tempestade, com foco em buscar águas mais tranquilas que, em determinado momento, deverão surgir. 

Por mais trágica que esteja sendo esta pandemia, devemos ter resiliência e extrair aprendizado do caos. É importante valorizarmos mais os aspectos de nossa vida que antes, negligenciamos e deixamos de lado. É preciso olhar mais ao redor e enxergar com carinho tudo aquilo e todos que fazem a nossa vida mais bela e feliz.  

 

Referências

Artigo – Janeiro Branco – Brasil é recordista em doenças mentais http://mt.corens.portalcofen.gov.br/janeiro-branco-brasil-e-recordista-em-doencas-mentais_11805.html#:~:text=O%20Janeiro%20Branco%20completa%20neste,%2C%20%C3%81frica%2C%20Europa%20e%20%C3%81sia. 

Artigo – 5 dicas de saúde mental https://www.msf.org.br/noticias/5-dicas-de-saude-mental 

Artigo – Dicas de saúde mental: confira 7 ações práticas para adotar no dia a diahttps://beecorp.com.br/blog/dicas-de-saude-mental/

Últimos posts por FABIO DA SILVEIRA NEIVA (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar