Desenvolvimento pessoal

Como saber se você está vivendo um relacionamento abusivo?

Na sociedade atual o conceito de relacionamento abusivo é muito discutido, entretanto, para as pessoas que estão vivendo esse tipo de relacionamento, pode ser difícil saber identificá-lo.

Diversos tipos de abuso

Apesar de, socialmente, o abuso físico ser o mais falado, há diversos tipos de abuso:

  • Emocional,
  • Verbal,
  • Físico,
  • Sexual.

Abuso emocional

É quando a pessoa que pratica o abuso, tenta diminuir o outro, atacando sua autoestima, deixando-o com medo, ou fazendo chantagens.

São aqueles casos em que são comuns as seguintes falas: “se me deixar, ninguém mais vai querer você”, “se você não fizer o que eu quero, não vou te dar dinheiro”, ”se você se separar de mim, não deixo você ver meus filhos”.

Entretanto muitas vezes nem é preciso o parceiro fazer ameaças verbais, pois o medo está implícito na relação, o que caracteriza o abuso. São casos por exemplo, de pessoas que se submetem ao outro, ou não terminam a relação devido ao medo. 

Abuso verbal

Está muito associado com o abuso emocional, mas envolve discussões e agressões verbais.

É comum o abuso iniciar-se de forma sutil, ou seja, através de brigas, discussões e agressões entre o casal, que podem ou não evoluir para um abuso físico ou sexual. Isso nos leva ao questionamento: O que é considerado “normal” dentro de um contexto de briga entre o casal?

Responder essa pergunta não é simples, pois muitas vezes o casal tende a normalizar as constantes brigas e agressões, principalmente quando elas são de natureza verbal, pois há a tendência social de achar que só é abusivo quando há violência física ou sexual, porém o ato de xingar e de ofender o parceiro também é uma forma de abuso.

O relacionamento é considerado abusivo quando uma das pessoas é praticante de abusos, enquanto a outra pessoa é submetida a abusos. São casos que não há respeito entre o casal, e eles se relacionam através de brigas.

Abuso Físico

É o tipo de abuso mais conhecido, pois envolve uma agressão física. Normalmente tal comportando de agressão é associado ao homem, pois supõe-se que este tem uma força física superior à da mulher. Porém, é importante desassociar a imagem do sexo masculino como o autor dos abusos, pois o contrário também ocorre, há mulheres que agridem o parceiro, há também casos de casais em que ambas as pessoas são abusivas, e em casos de casais homossexuais, por exemplo, o comportamento abusivo pode vir de ambos os sexos. 

Abuso Sexual

Este tipo de abuso ainda é pouco falado, sendo considerado um tabu, pois ele ocorre principalmente com mulheres que estão em um relacionamento, e são obrigadas a terem relação sexual

É importante destacar, que a mulher tem o poder de escolha em relação a ter ou não relação sexual com o marido ou parceiro, independe de estar ou não em um relacionamento. Entretanto, muitas mulheres, sentem-se fragilizadas no relacionamento abusivo e acabam tendo relação sexual, pois sentem que é uma obrigação.

Algumas características de relacionamentos abusivos

  • Ciúme excessivo: A pessoa ciumenta sente ciúme de tudo que está ao redor do parceiro, vasculha redes sociais, celular, etc., sempre em busca de alguma prova, que possa comprovar que o parceiro trai ou tem alguma atitude que ela considera errada. 
  • Tentativa de isolar o parceiro do mundo: A pessoa abusiva aos poucos vai tentando isolar o parceiro do mundo, afastando-o de outras pessoas ou atividades que geram interesse no outro. A ideia por trás desse comportamento é fazer com que o parceiro se sinta isolado e fragilizado, e a partir disso fique focado somente na relação à dois, o que gera uma falsa sensação de que nunca será deixado. É um comportamento patológico que faz com que a pessoa que é vítima de abuso fique extremamente fragilizada e dependente do outro.
  • Perda da autoestima: É comum a pessoa que pratica abuso ofender o parceiro e tentar fazer com que ele fique com autoestima baixa, sendo comum falas associadas com críticas diversas ao parceiro. Tais críticas fazem com que a pessoa que sofre abuso crie uma dependência do parceiro que abusa, pois é comum a pessoa permanecer em um relacionamento abusivo, pois ela sente que não tem atributos e qualidades para estar com outra pessoa.
  • Promessas de mudanças que nunca serão cumpridas: É comum diante, de uma tentativa de quebra do padrão de relacionamento abusivo, em que a pessoa abusada passa a defender-se ou tenta terminar o relacionamento, o parceiro praticante do abuso faz promessas de mudanças, diversas vezes, mas que nunca são cumpridas.

Quando procurar ajuda?

Ambas as partes da relação precisam de ajuda, entretanto, na prática é comum que somente a pessoa que foi submetida ao abuso procurar ajuda, pois o praticante do abuso muitas vezes demora a entender que tem um comportamento abusivo. 

Buscar ajuda nunca é fácil, há pessoas que levam anos para sair de um relacionamento abusivo, e isso se dá pois esse tipo de relação tende a machucar muito as pessoas e deixá-las fragilizadas, o que faz com que muitas vezes a pessoa não tenha forças para pedir ajuda, devido ao medo ou vergonha. 

Como ajudar alguém que vive essa situação?

Se você é amigo ou parente de algum casal que vive esse tipo de relação, você deve oferecer ajuda. 

Culturalmente ouvimos que “em briga de marido e mulher não se mete a colher”, entretanto isso não é verdade. Ao se “meter”, ou seja, oferecer ajuda, você evitar que alguém saia ainda mais machucado desse tipo de relação. 

A ajuda pode vir através de conversas e orientações. É importante mostrar para quem está nesse tipo de relação que há formas de resolvê-la, e que é importante buscar ajuda profissional de um psicólogo.

A importância da psicoterapia

O psicólogo é o profissional qualificado para ajudar as pessoas envolvidas em um relacionamento abusivo. A terapia tem o objetivo de promover mudanças de comportamento, trabalhar a autoestima, insegurança e fortalecer a pessoa, visando uma melhora nas suas relações e qualidade de vida.

Para a pessoa que pratica o abuso a terapia possibilitará que ela visualize melhor o seu comportamento, entenda a razão por que se age dessa forma e, se houver desejo de mudança, a terapia irá ajudar nesse processo.

Para a pessoa que é submetida ao abuso a terapia irá ajudá-la a entender melhor a situação, de forma a promover um fortalecimento mental, que fará com que ela compreenda melhor o relacionamento e o seu desejo de estar ou não nele.

Brunna Hernandes
Últimos posts por Brunna Hernandes (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar