Desenvolvimento pessoal

Você se conhece mesmo ou está vivendo de mentira?

O que é autoconhecimento?

Quem é você? Você se conhece? Você já se perguntou isso alguma vez? Parece uma pergunta tão simples, mas se pararmos para pensar a resposta será mais complexa do que imaginamos. Sabe o que pode te auxiliar na busca desta resposta? Isso mesmo, o autoconhecimento!

Basicamente, autoconhecimento é um termo usado para descrever o conhecimento que uma pessoa tem a respeito dela mesma, a compreensão de cada detalhe que acontece dentro da gente. Ter acesso a esse conhecimento faz com que o indivíduo tenha uma maior propensão ao desenvolvimento e ao crescimento em todas as áreas da vida.

Quando olhamos para dentro sem julgamentos e sim com aceitação, conseguimos identificar aspectos como qualidades e limitações que nos possibilita uma facilidade para lidar com emoções, definir objetivos e percorrer um caminho de autorrealização

Por que é importante conhecer a si mesmo?

Já ouviu dizer que para amar alguém é preciso primeiro amar a si mesmo? A lógica aqui é bem parecida. Quando me torno capaz de conhecer e compreender meus próprios conflitos, quando meu olhar se dirigir ao outro, só então serei capaz de enxergá-lo com sentimentos genuínos. 

A capacidade de lidar com certas situações causam um impacto crucial na maneira como estabelecemos relações com o mundo, isso acaba por afetar diretamente nos nossos sentimentos e emoções.

Aqui o autoconhecimento é essencial para o desenvolvimento pessoal e profissional de alguém. Ter conhecimento sobre si mesmo, abre portas para que você se torne responsável pelo controle emocional, satisfações em relação às suas escolhas de vida e a lidar com conflitos internos. 

Quais os benefícios do processo de autoconhecimento?

O autoconhecimento pode nos proporcionar benefícios que nos auxiliam nas mais diversas áreas da vida. 

Sabemos que todos nós somos feitos de qualidades e defeitos, isso é algo que está atrelado à nossa personalidade. Conhecer e compreender estes aspectos é mais complexo do que se pensa, afinal, só quem se conhece verdadeiramente tem a plena consciência de quais são. 

Com o autoconhecimento você pode, além de tudo, utilizar desses pontos na sua vida da melhor maneira possível. Como assim? Simples, seus pontos positivos serão usados a seu favor e os negativos serão evidenciados para que seja possível a superação deles em algum momento

Assim, abrem-se portas para a busca da felicidade. Quando falamos em oportunidades, estamos nos referindo a pessoas que buscam arriscar-se com tudo, sem medo! Para dar este passo em busca do novo, o autoconhecimento é o caminho. Afinal, para ultrapassar limites é preciso conhece-los.

Quais os comportamentos mais comuns da autossabotagem?

A autossabotagem é definida como um conjunto de circunstâncias (ações destrutivas e punitivas) que, inconscientemente, o indivíduo se sabota. Ou seja, não permite que realizações aconteçam para ele. 

Pensamentos negativos e depreciativos como: “Não consigo” ou “Não sou capaz” são comuns, a maioria das vezes eles aparecem e nos contaminam e não conseguimos nem notar. Isso acontece por causa de nossas crenças limitantes, que são pensamentos inconscientes que levamos como verdades absolutas, que nos paralisa e nos deixa ali estagnados em nossa zona de conforto envolto em uma espécie de aparente segurança. 

Precisamos nos ater para o fato de que esses pensamentos podem ser nocivos e perigosos para o desenvolvimento pessoal. Fique sempre alerta em relação a alguns comportamentos que podem remeter à autossabotagem, não dê espaço para eles se estabelecerem.

São eles: 

  • Medo de prosseguir em algo,
  • Procrastinação,
  • Pessimismo, 
  • Autocritica bem acentuada,
  • Insistir em ser autossuficiente, 
  • Comparar-se demais com os outros,
  • Vitimização,
  • Culpabilidade.

Como a psicoterapia pode ajudar?

Aqui é onde entra o psicólogo, através da psicoterapia, para juntos construirem ferramentas que auxiliam neste novo caminho de autoconhecimento.

A psicoterapia pode ser compreendida como um processo, que pode analisar a relação que o comportamento do paciente tem com toda a sua vida externa e interna.

A partir do momento em que se compreende essa relação, torna-se mais fácil o desenvolvimento de novos comportamentos e habilidades potencializando a felicidade e a satisfação de todas as pessoas que a inserem em suas vidas.

Aqui, o objetivo é ajudar a ampliar a consciência sobre si mesmo e a desenvolver recursos para lidar com questões internas e resolver conflitos emocionais que incapacitam ou geram sofrimento, além de comportamentos que trazem danos às suas vivências.

Dica para auxiliar o desenvolvimento do autoconhecimento

Agora que entendemos um pouco melhor sobre o assunto, que tal passarmos para um lado mais prático? Afinal, como posso desenvolver essa habilidade? Inúmeras são as técnicas utilizadas para o desenvolvimento do autoconhecimento dentro da terapia e aqui vou trazer uma dica para vocês.

Existem algumas reflexões que podem ser usadas para trabalhar o autoconhecimento. Uma das formas mais fáceis de encontrar respostas é fazendo a pergunta certa, assim é possível identificar pontos importantes e que podem auxiliar no desenvolvimento do autoconhecimento.

Pare para refletir e se questione:

  • Quais são minhas principais qualidades?
  • Tenho crenças limitantes que preciso superar? Quais são elas?
  • Agora, daqui para frente, que atitudes devo tomar? 

Afinal

Assim que você se coloca disponível para esse tipo de conhecimento começaremos uma jornada para chegar à resposta de uma simples e ao mesmo tempo complexa pergunta: “Quem sou eu?”. 

Técnicas e manejos clínicos não faltam para trabalhar, justamente, o olhar para dentro de si mesmo, fortalecendo seus pontos fortes e superando vulnerabilidades.

Mas uma coisa eu posso dizer, neste momento você é exatamente aquilo que você acredita que é, e para mudar isso, você precisa buscar a melhor maneira de construir sua melhor versão!

Agora me conta, ficou com alguma dúvida em relação ao tratamento? 

Quer saber mais sobre o assunto?

Coloco-me à disposição.

Marina Silva de Souza

Psicóloga Clínica – CRP 04/48933

Referências

  1. ARAÚJO, Miguel A. L. de. Autoconhecimento. Linha Direta: Educação por escrito. Ano 3 – nº 33, dez. 2000. BARRETO, Maribel. Consciência e Educação. In: BIASE, Francisco Di (Org.). Dimensões da consciência. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008.
  2. DI BIASE, Francisco., ROCHA, Mário Sérgio F. Caminhos do Sucesso: a conspiração holística e transpessoal do Terceiro Milênio: espiritualidade na vida, excelência nas pessoas, revolução nas empresas.
Marina Silva de Souza
Últimos posts por Marina Silva de Souza (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar