Ansiedade

Quais os impactos do isolamento social na saúde mental?

Sobre a Pandemia

O mundo está vivendo em uns dos maiores impasses em toda a sua história social, política, econômica e na área da saúde. Essa nova doença deu o início de uma grande e devastadora pandemia atingindo a todos sem distinguir classe, raça e status.

Muitos estudos estão apontando que a origem da doença foi de um animal chamado pangolim que ingeriu fezes de morcego. Os chineses gostam de alimentos exóticos e ao ingerir esse animal, surgiram os primeiros casos de COVID-19 na China. Isso trouxe sérias conseqüências para todas as sociedades do mundo.

Essa doença veio de forma silenciosa e devastadora, espalhando por todos os países. Como a contaminação é através do contato humano e aglomerações, os países tiveram que adotar medidas drásticas de quarentena. Isso atingiu a economia dos países, porque a reclusão causou a perda de vários empregos, o fechamento de várias empresas e comércios por falta de clientes, o fechamento das escolas, etc.

Assim, surgiu uma nova era no mundo virtual onde os empregos são através da internet e do Home Office. O mundo teve que se adaptar ao novo contexto com diferentes regras de convivência.

A sociedade vive em um grande dilema: alguns defendem a volta da rotina, outros não. É visível que nós não podemos ter uma rotina normal, mesmo tendo a vacinação, para que não tenha um aumento no índice de contaminações e mortes com as mutações. Os países devem adotar medidas preventivas, criando novas formas de empregabilidade e esperando que a vacine chegue a todas as famílias.

Situação atual da saúde mental

Essas mudanças ocorridas na dinâmica da sociedade transformaram a vida das pessoas e isso tem causado uma série de danos sociais, econômicos, políticos, educacionais, psicológicos e físicos. O desemprego e o isolamento tem levado milhares de pessoas a desenvolverem problemas psicológicos, devido o desamparo e a novas exigências do mercado de trabalho que muitas das pessoas não estão preparadas para enfrentar no dia a dia.

Com a escola remota e com os filhos tendo aula em casa, isso fez com que os pais ficassem mais sobrecarregados, tendo que conciliar a educação dos filhos com as pesadas jornadas de trabalho. Além de sobrecarregar a família, o isolamento fez com que a família adoecesse frente à incerteza do futuro quanto ao emprego, a educação dos filhos e a doença que assola o mundo. 

Os atritos entre os casais e a violência doméstica também aumentaram com a pandemia. Com a convivência mais intensa, muitos parceiros passaram a conhecer o companheiro mais de perto, descobrindo que não tinha afinidades em comum, e, por conseqüência, ocorreram inúmeros atritos que levaram a muitos divórcios.  

Entre tantos problemas sociais, é visível que a educação dessa nova geração será deficiente por causa do isolamento. As aulas online não transmitem os conteúdos como nas aulas presenciais, deixando uma grande lacuna na vida escolar das crianças. Muitos alunos fingiam assistir as aulas ou não as frequentavam, por fim todos foram aprovados com bom ou ruim rendimento.

Com esse contexto, é visível que os alunos saíram prejudicados tanto no rendimento escolar como na socialização, que é necessária para todo aluno que está em construção na sociedade.

Impactos do isolamento/exclusão social na saúde mental

Nesse cenário, a sociedade está vivendo um momento devastador da sua existência. Todos esses fatos descritos acima têm gerado um aumento na piora da saúde mental e física das pessoas, devido o isolamento social.

A incerteza, a pressão por resultados, o acúmulo de funções na empresas, a educação defasada e os atritos familiares têm trazidos sérios problemas à saúde de seus colaboradores. Muitos desses trabalhadores adquiriram diagnósticos de pânico, ansiedade, depressão e outras doenças psicológicas ou físicas durante essa pandemia, tendo um aumento de número em solicitações no INSS para pedir aposentadoria por invalidez de saúde. 

Para reverter esse quadro, muitas empresas estão criando estratégias que atendam seus colaboradores com programas voltados para a saúde mental ou física. Grandes empresas, como a DASA, dentre outras, estão disponibilizando e incentivando atendimentos psicológicos para os seus colaboradores, com o intuito de evitar grandes prejuízos para a empresa por causa da saúde ou ausência desses colaboradores. Assim, muitas empresas buscam a prevenção, e esse é o caminho para a sociedade se reerguer dessa pandemia que assolou o mundo inteiro.

A pandemia tem seus pontos negativos, mas também têm seus pontos positivos. Há um outro movimento ocorrendo no mundo que é a criação das vilas nômades digitais com uma grande estrutura de lazer e de informática, que permitem pessoas viajarem por vários países, trabalhando e conhecendo várias culturas com mais qualidade de vida.

Acredita-se que essa nova cultura irá impulsionar novos nichos comerciais e um novo estilo de vida, sendo que teve o seu início no Home Office.

Além das novas políticas surgidas nas empresas, é necessário que tenha uma mudança no governo adotando novas estratégias que combata o desemprego, o ensino e a saúde em defasagem. A mudança de comportamento das pessoas também é importante, pois a agressividade tem dominado os ambientes e as redes sociais. Portanto, a sociedade está em transformação e ainda está cedo para dizer qual vai ser o nosso destino, pois estamos na era da incerteza.

Como se adaptar à Nova Ordem Mundial

Com a pandemia, a sociedade está entrando numa nova era, e para essa mudança é necessário fazer algumas adaptações no dia a dia para preservar a saúde mental e física das pessoas. Sabemos que a dedicação somente ao trabalho e aos fazeres da casa não vão te deixar tão bem assim emocionalmente.

Então, aqui vai algumas estratégias:

  1. Aproveite o tempo que você está em casa para descobrir novos hobbies que antes você não teria tempo ou coragem de fazer, tais como: pintar e desenhar, tocar um instrumento, aprender uma língua estrangeira, estudar uma área de interesse, ler livros, ouvir música, fazer algum artesanato, etc.;
  2. Cuide da saúde mental, buscando apoio na psicologia e na psiquiatria;
  3. Cuide da saúde física, buscando a prevenção com o apoio da medicina;
  4. Faça atividades em família e tenha momentos prazerosos com os seus filhos, através de brincadeiras, leituras de livros, atividades físicas, meditação, relaxamento, etc.;
  5. Pratique exercícios físicos para manter o cérebro e o corpo saudáveis;
  6. Cultive uma vida espiritual;
  7. Não se isole e busque novas formas de socialização, utilizando videochamadas, telefones e outros recursos tecnológicos, ou até mesmo conversando com os familiares da sua casa;
  8. Evite vícios, como bebidas alcoólicas em excesso ou uso de drogas;
  9. Tenha uma rotina saudável de alimentação e de sono;
  10. Aprenda com as dificuldades e com os novos desafios do mercado de trabalho.
  11. Seja positivo.

 

Referências: 

Arantes, José. O agravamento dos transtornos mentais durante a pandemia. Disponível em <https://agencia.fapesp.br/o-agravamento-dos-transtornos-mentais-durante-a-pandemia/34505/>. acessos em 12 fev. 2021.

Zorzetto, Ricado. Mudanças causadas pela covid-19 aumenta o sofrimento e transtornos mentais. Disponível em <https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2020/08/10/mudancas-caudas-pela-covid-19-aumentam-sofrimento-e-transtornos-mentais.htm>. acessos em 12 fev. 2021.

Castro, Rodrigo. Divórcio crescem 54% no Brasil após queda abrupta no início da pandemia. Disponível em <https://epoca.globo.com/brasil/divorcios-crescem-54-no-brasil-apos-queda-abrupta-no-inicio-da-pandemia-24635513>. acessos em 12 fev. 2021.

Valente, Suzana. Abriu a primeira Vila Nómada Digital em Portugal (e o país “tem tudo para ser líder” nesta área). Disponível em https://zap.aeiou.pt/primeira-vila-nomada-digital-portugal-380150>. acessos em 17 fev. 2021.

Cuminale, Natalia. Guia de Saúde Mental pós-pandemia no Brasil. Disponível em <https://www.pfizer.com.br/sites/default/files/inline-files/Guia-de-Saude-Menta-%20pos-pandemia-Pfizer-Upjohn.pdf>. acessos em 17 fev. 2021.

CLAUDIA F N DE MENEZES
Últimos posts por CLAUDIA F N DE MENEZES (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar