Saúde

Transtorno de Personalidade Limítrofe: O que é, Sintomas e Diagnóstico

No decorrer dos anos, e especialmente a partir da revolução industrial, a psicologia emerge como um importante saber científico para ajudar na compreensão da nova sociedade.

Para isso, muitos pesquisadores se dedicaram a estudar uma série de comportamentos associados a sofrimentos mentais, chegando a níveis que beiravam o insuportável.

Dentre os resultados das investigações no campo da saúde mental, descobriu-se que muitos comportamentos se repetiam e eram associados a emoções, pensamentos e crenças, o que permitiu a caracterização dos transtornos mentais, dentre eles os transtornos de personalidade.

Os transtornos de personalidade afetam vários aspectos da vida da pessoa, em especial o humor, as relações interpessoais, afetos, emoções, trazendo quase sempre uma sensação de confusão que beira àquilo que costumamos entender como loucura.

Embora o poeta esteja certo ao afirmar que “de perto ninguém é normal”, algumas situações trazem muito sofrimento psíquico em função da complexidade do turbilhão de emoções e comportamentos envolvidos.

Dentre os casos de Transtorno de Personalidade destaca-se o Borderline, por suas características específicas que alteram vários aspectos da vida da pessoa.

O que é Transtorno de Personalidade Limítrofe?

O Transtorno de Personalidade Borderline ou Limítrofe, caracteriza-se por um conjunto de sintomas que trazem grande instabilidade em vários aspectos da personalidade, como relacionamentos, auto-imagem, afeto e comportamentos (ARNTZ, 2015).

Essas características deixam a vida das pessoas com esse transtorno muito difícil, trazendo grandes impactos nas relações interpessoais e em vários campos da vida – desde profissionais até relacionamentos pessoais.

Embora grande parte das pessoas sejam realmente inteligentes, acabam por abandonar estudos e trabalhos em função dos fatores emocionais.

Em termos práticos, o sofrimento causado pelas características deste transtorno, muitas vezes, leva o indivíduo a responder de forma “exagerada” a situações cotidianas da vida com grande instabilidade e impulsividade, estando sempre na borda ou no limite para explosões que podem ser dirigidas ao outro ou a si mesmo, podendo ocorrer, tentativas de suicídio ou automutilação.

Esses episódios de explosão trazem uma sensação de alívio e prazer num curto prazo.  

Estudos da Associação Americana de Psiquiatria apontam que entre 1,1 a 2,5% da população sofre deste transtorno, sendo mais predominante na população feminina.

O transtorno é mais comum de ocorrer na idade adulta e pode afetar significativamente a qualidade de vida do cliente.

[easy-video-share-events mode=”youtube” video=”GswP0EFF-0w” width=”560″ height=”315″ play=”false” pause=”false” end=”false” share=”false” share_pos=”before” ]

Quais os sintomas da síndrome de Borderline?

Pessoas com esse transtorno possuem uma acentuada instabilidade emocional, que pode chegar de um extremo de êxtase a tristeza – de forma brusca e instantânea, normalmente associada a sentimentos de rejeição. Por esse motivo, é comum a confusão com o Transtorno Bipolar.

A pessoa com borderline pode ter dificuldades em comunicar claramente seus sentimentos, especialmente em situações que a rejeição apresenta-se acentuada. Podem haver episódios de automutilação e tentativas de suicídio, também ligados a uma compulsão e uso de drogas.

A ansiedade costuma afetar fortemente pessoas com transtorno de boderline bem como estado depressivo ou de tristeza profunda.

Em função dos diversos fatores listado, o diagnóstico desse transtorno é um desafio para diversos profissionais de saúde mental – mesmo os mais experientes, especialmente em função da vasta gama de sintomas que o compõem e que podem ser facilmente confundidos com outros transtornos.

Como diagnosticar uma pessoa com Transtorno Limítrofe?

O diagnóstico pode ser realizado pelo psicólogo e/ou psiquiatra, esses profissionais poderão detectar o transtorno a partir de anamneses específicas e, no caso da abordagem terapia cognitivo-comportamental, a aplicação de métodos como o Diagrama de Conceituação Cognitiva.

É importante ressaltar que não existem exames para diagnosticar transtornos de personalidade. Quase sempre é necessário um bom profissional de saúde mental para reconhecer a operação do conjunto de sintomas que atuam nesses casos.  

O suicídio é a causa de morte de cerca de 10% das pessoas com esse tipo de transtorno, e a principal forma de tratamento é a psicoterapia, muitas vezes associada ao acompanhamento psiquiátrico. Os medicamentos podem ajudar a minimizar a ansiedade e a depressão, reduzindo tentativas de suicídio.

A psicoterapia é capaz de contribuir para mudanças importantes com vista à superação dos desafios trazidos pelo transtorno de borderline, uma dessas formas é ajudando o paciente a ampliar sua autoconsciência, modificar comportamentos, a fim de contribuir positivamente nos vários aspectos da vida, aumentando assim o potencial criativo e transformador do cliente.

É muito importante saber que não é possível fazer o auto diagnóstico dos transtornos mentais. Eles exigem grandes esforços dos profissionais de saúde para serem diagnosticados e normalmente só é concluído após algumas sessões iniciais.

Portanto, se você percebe que tem sofrimentos que são insuportáveis e impedem suas atividades diárias, um psicólogo pode ajudar a mudar esse quadro.

Salvador Pereira Correa Junior

Psicólogo com 10 anos de experiência e disponibilidade para abertura de agenda em horários não convencionais. Atuação com técnicas da terapia cognitiva comportamental, atendimento com perspectivaintegral e focal. Ampla experiência em acolhimento, aconselhamento e orientação psicológica, incluindo pessoas em situações de grande estigma social.Experiência em atendimento clínico, visita domiciliar, hospitalar e definição do projeto terapêutico, intervençãoem saúde mental. Atualmente atua no acolhimento e acompanhamento de pessoas diagnosticadas com HIV.
Salvador Pereira Correa Junior
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar