Desenvolvimento pessoal

Ano novo, vida nova?

Você já dever ter percebido que todo ano fazemos a mesma coisa? Um novo ano começa e com ele as promessas:

– “Este ano vou perder peso, comer comidas saudáveis e frequentar a academia”;

– “Vou economizar e fazer uma poupança”;

– “Vou cuidar mais da minha saúde”;

– “Vou passar mais tempo como minha família e amigos”;

– “Vou me estressar menos com o trabalho”;

– “Fazer uma viagem e aproveitar minhas férias”, etc.

Alguma dessas falas é familiar a você?

A razão pela qual escrevo este artigo no final do mês de Janeiro é pela razão que parece óbvia mas passa desapercebida para a maioria de nós: A maioria das nossas promessas de ano novo geralmente não perduram mais do que alguns dias de Janeiro.

No inicio existe toda uma empolgação e determinação com esses novos planos, que vai se perdendo conforme retornamos a rotina, acaba faltando tempo suficiente, dinheiro suficiente, além da própria energia para começar novas atividades.

Há uma boa parcela de humanidade nisso, afinal, é fácil ter uma nova ideia, uma vontade e desejo de algo que precisa ser mudado em nós mesmos ou em nossa rotina, porém o momento de coloca-las em prática acaba sendo bem mais complicado.

É também nossa característica termos esperança, por mais difícil seja a situação pela qual passamos, esperamos fortemente que cada novo ano seja melhor do que o que se passou e que as coisas mudem para melhor. Como um nova chance, uma folha em branco, esperando para ser escrita com uma nova historia. Como diz o ditado popular: “A esperança é a última que morre.”

Por que é tão difícil mudar?

Quando sonhamos com uma “vida melhorada”, uma promoção no trabalho, em perder peso, um relacionamento feliz, entre outros, nossa expectativa é de que essa mudança venha de fora, esperamos que o destino, a sorte, Deus, o universo, nosso chefe, tome a atitude por nós, realizando o que almejamos, praticamente como um passe de mágica.

O que pode até acontecer em determinadas situações, mas não perdura caso não haja uma mudança interna que aceite e acompanhe essa transformação. Por exemplo: Aquela crença antiga, aquele hábito ou pensamento que não nos permite seguir em frente…, insegurança de que se merece o quanto se deseja, entre outros.

Essa dificuldade acontece por algumas razões, uma transformação interna requer olhar para si mesmo com uma atitude de investigação, analisar sua realidade e ver o que incomoda, para isso é preciso sair do piloto automático da rotina, parar e prestar atenção em si

É um grande desafio, pois nos acomodamos tanto com coisas boas e ruins, situações, pensamentos se repetem com tanta frequência que acabam sendo conhecidos e adotamos como algo nosso, da nossa personalidade, por exemplo.

É impossível realizar as mudanças que queremos?

O primeiro passo é o reconhecimento inicial, saber o que incomoda, o porquê de agirmos dessa forma, e as principais razões e motivações que levam a querer mudar esse habito, comportamento ou situação atual. É olhar para si e para os pensamentos com curiosidade se sem julgamentos, ajuda ter papel e caneta disponíveis para anotar essas percepções.

E o mais importante, caso seja algo desagradável que esteja aparecendo, sentir compaixão por essa situação difícil e sentimento ruim.

Quando é acessada a necessidade e tomada a decisão da mudança, o próximo passo é o planejamento. É preciso definir o que se quer alcançar, como e quando. Por exemplo, se eu quiser uma promoção no meu emprego, vou precisar saber as qualificações necessárias para o cargo que almejo, como consegui-las? Vou precisar de mentoria ou cursos extras. Conversar com meu superior sobre essa possibilidade, pedir feedbacks sobre meu trabalho e estabelecer um prazo razoável para alcançar esse objetivo, afinal não ocorrerá do dia para noite.

O último passo e talvez a parte mais importante é a ação. Será preciso atitude, investir energia e perseverança para começar quanto para continuar o planejamento, muitas vezes aparecem obstáculos ou situações inesperadas que nos levam para trás no progresso do que foi planejado, e requerem uma análise e replanejamento de atividades, nesse momento é essencial lembrar da motivação pelo qual o fez começar e onde deseja chegar para continuar.

Táticas importantes para o sucesso

Se você acha difícil começar e manter novos planos e projetos, saiba que não está sozinho. A falta de perseverança é comum. Segundo pesquisas, a procrastinação atinge até 90% da população em geral, incluindo jovens e adultos.

Com isso, algumas técnicas que podem ser utilizadas: 

#1 – Comece por algum lugar e o quanto antes!

O famoso “amanha eu faço” é uma armadilha perigosa. A ideia de que é preciso ter algo que não se tem e de que não é o momento certo para tomar uma atitude funciona como boicote para a ação, comece onde está e com os recursos que tem!

# 2 – Estabeleça objetivos palpáveis e rápidos

Pode levar muito tempo para conseguir mudar sua carreira, de cidade ou um relacionamento, o que pode contribuir para desmotivação. Estabeleça pequenos objetivos para ser alcançados cada dia, se quiser se exercitar mais, comece com 1 minuto de exercício por dia, por exemplo.

# 3 – Lembre-se o motivo pelo qual tomou essa decisão

Nenhuma mudança e fácil. Lembre-se daquilo que o motivou a tomar essa decisão e os objetivos que pretende alcançar. Qual a importância deles na sua qualidade de vida e quais benefícios lhe trarão.

# 4 – Busque e use as ferramentas disponíveis

Há uma gama de aplicativos e técnicas para alcançar objetivos. Encontrar o que mais se encaixa às suas preferências pode lhe trazer novas ideias e motivações importantes para seu projeto, o que facilitam a primeira fase de planejamento.

Em caso de uma mudança radical, como mudança de carreira, pode ser preciso buscar um profissional especializado na área, como um Coach de carreiras, por exemplo. 

No geral, um psicólogo pode lhe auxiliar durante todo o  processo. Reconhecer o que não está nos fazendo bem fisicamente e mentalmente pode ser uma experiência dolorosa. Com a terapia é possível olhar e aceitar experiências e sentimentos negativo, angariando forças suficientes para fazer as mudanças necessárias para nossa saúde e bem-estar.

Afinal, no fim o que mais importa é progressivamente podermos nos tornar a melhor versão de nós mesmos.

 

Referencia:

https://www.estarsaudemental.com.br/procrastinacao-atinge-ate-90-da-populacao-em-geral/#:~:text=Estima%2Dse%20que%2080%25%20dos,90%25%20das%20pessoas%20em%20geral.

Franciele Souza da Silva
Últimos posts por Franciele Souza da Silva (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar