Saúde

Você sabe identificar sua ansiedade? Confira algumas dicas infalíveis!

Vivemos num tempo em que a ansiedade já está sendo igualada à depressão. Você também sofre desse mal? Consegue identificar a ansiedade? Aprenda agora mesmo!

Ansiedade vs depressão

Como dissemos acima, vivemos em uma era em que as pessoas que vivem com ansiedade, e sofrem com ela, estão conseguindo competir estatisticamente de forma acirrada com os números de pessoas que sofrem com depressão, considerado como o grande mal da atualidade. 

A estimativa lastimável é de que esses números tendam a aumentar nos próximos anos. Mas a grande questão está em como que as pessoas entendem o que é ansiedade clínica de fato. 

Isso é algo importante de se saber, pois é o diferencial entre você seguir uma vida com equilíbrio e organizando adequadamente as suas prioridades, ou se encontrar paralisado por medos e situações catastróficas que lhe tiram noites de sono, que trazem palpitações ao coração, desconforto gastrointestinal, problemas de pele… bem, a lista de sintomas agregados aos transtornos de ansiedade é grande, como você pode notar.

O que é ansiedade clínica

A ansiedade clínica é algo muito maior do que apenas preocupações do cotidiano, ela aparece em situações que podem ser vistas por boa parte das pessoas como algo rotineiro da vida, como por exemplo: 

  • Dificuldade de se concentrar e render no trabalho, 
  • Angústia de ter de pegar um avião, 
  • Na possibilidade de manter ou iniciar um relacionamento íntimo ou simplesmente amistoso com alguém,
  • Na evitação constante de certas pessoas, lugares, atividades como dirigir carro, pegar elevadores, ir a festas, falar em público, encarar o mercado de trabalho, dentre outros.

Se você, leitor, consegue se ver em um desses exemplos, bem, isso pode ser sinal de que algo não está indo de vento em popa em sua vida, e uma investigada mais a fundo nessa questão lhe faria um bem danado. 

Se eu parar de pensar nessas coisas isso não deixa de me incomodar?

Você poderia estar pensando alguma coisa como: 

“Será que não daria para fazer vista grossa a essa dificuldade e seguir com a vida mesmo assim?” 

Essa é a estratégia que muitas pessoas usam; e até funciona a curto prazo, pois gera o alívio de, mais uma vez, não ter de lidar com os monstros que as afligem tanto. 

Todavia, os estudos na área já indicam que, a longo prazo, esta forma de encarar o objeto do seu medo e ansiedade, dá ao mesmo ainda mais força para te paralisar na próxima vez que você se deparar com ele, e mais, pode se expandir para outros contextos que antes você não tinha medo ou ansiedade. 

O efeito bola de neve

Parece uma bola de neve ou uma erva daninha, que cresce, e aos poucos, toma conta de você. 

Sufocante, não é mesmo?! Você pode até se perguntar: o que devo fazer então? Nesse caso, você pode criar o hábito de prestar a atenção no que se passa em sua cabeça, quando a ansiedade está a tona. 

Isso ajuda a identificar a origem da ansiedade, dá corpo e forma a ela, e isso lhe devolve o controle sobre si mesmo, e lhe dá a possibilidade de entendê-la e saber como proceder em seguida: recorrendo ao suporte de alguém ou de um terapeuta que saiba te ajudar nesse processo, procurando por estratégias de enfrentamento da situação desafiadora, avaliando as imagens aterrorizantes e pensamentos preocupantes que surgem em sua mente e bagunçam sua capacidade de pensar com clareza. 

Mensagem final

As possibilidades de superar medos intensos e a ansiedade são inúmeras. A mensagem final que deve ficar ao leitor é que a base dos transtornos de ansiedade se dá na tendência de nós percebemos o problema como maior do que o que ele realmente é, e de percebermos as nossas capacidades de lidar com tal dificuldade de forma inferior e insuficiente aos nossos reais potenciais. 

Ou seja, superestimar o problema e nos subestimarmos frente a ele. Mas não se deixe enganar pelo medo e angústia, esse sofrimento pode ter fim e com a ajuda necessária há esperanças de uma vida leve e plena.

Quer saber um pouco mais sobre ansiedade? É só entrar em contato: Psicóloga Valentina Moraes – Psicologia Viva.

 

Referência bibliográfica: "Livre de ansiedade" de Robert L. Leahy

Valentina Moreira de Souza
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar