Ansiedade

O nosso cérebro: Quando ele escolhe não sentir para não sofrer

O sofrimento nunca será uma escolha pessoal, pois ninguém escolhe sentir dor, isolar-se e sofrer por vontade própria. Mas, ao mesmo tempo, não existe nenhuma anestesia para não sofrer. A vida nem sempre é fácil. Esta frase é dita com muita frequência por pessoas ao nosso redor e até por nós mesmos, e quem até o momento teve a sorte de não ser tocado pela dificuldade não compreende ainda o realismo destas palavras. 

Sabemos que viver é confrontar provocações, construir um ou mais projetos, viver é permitir que a felicidade possa abraçar as nossas vidas. Viver também é aceitar que, de vez em quando, o sofrimento chegará para nos colocar à prova.

Quando o sofrimento chega em nossas vidas, nem todo mundo o encara da mesma forma. Existem pessoas que conseguem lidar melhor com as decepções, enquanto outras podem pegar para si e deixar com que os acontecimentos e sofrimentos desgastem a sua vida e sua autoestima. Então, podemos dizer que nenhuma tristeza é vivida de maneira igual, da mesma forma que nenhuma depressão tem a mesma origem e nem é sentida igualmente por todos

Mas, existe um sintoma que é comum e que, de alguma forma, todas as pessoas experimentam em algum momento da vida, que é a anedonia.

A anedonia é a incapacidade de sentir prazer e aproveitar as coisas boas. É como se o nosso cérebro decidisse se desconectar. Não sentir para não sofrer, isolando-se e ficando anestesiado. Talvez você já tenha sentido isso alguma vez em sua vida, mas e o que acontece quando isso se torna crônico?

Hoje queremos tratar desse assunto para oferecer a você informações que nos aprofundem no conhecimento desse aspecto tão importante.

Anedonia: Quando perdemos o prazer de viver

Bem no início foi dito que não existe anestesia para as dores da vida, então quando a anedonia aparece em nossa mente, ela surge como um mecanismo de defesa negativo, causando prejuízos. Importante mencionar que a anedonia não é uma doença e nem um transtorno, ela é apenas um sintoma que faz parte de algum processo emocional. 

Anedonia pode aparecer como a falta de interesse pelas relações sociais, pela comida, pela comunicação com os outros, entre outras formas. O verdadeiro problema acontece quando a anedonia ergue um muro em nossa volta e nos priva de todas as nossas características de humanidade: quando não sentimos nada diante das expressões de carinho, quando não precisamos de ninguém do nosso lado e quando nenhum estimulo pode nos provocar prazer, nem a comida, nem a música, nem nada. 

Quando deixamos de sentir para não sofrer, não estamos nos protegendo, e sim, fechando portas para a vida, nossa alma vai definhando aos poucos. 

Anedonia em seu aspecto cerebral 

Toda essa baixa aptidão aos acontecimentos da vida, acaba por refletir no cérebro. É importante levarmos em conta que existem tipos de processos que podem se desencadear em nosso interior quando experimentamos a anedonia.

Se esse estado se tornar crônico e prolongar-se por muito tempo, as nossas estruturas cerebrais podem sofrer mudanças, e isso vai afetar os nossos julgamentos, pensamentos e emoções

Uma parte do cérebro, chamada de lóbulo frontal, que está relacionado com a tomada de decisões, acaba por se reduzir. Os gânglios basais, que estão relacionados com os movimentos, podem ficar afetados até o ponto em que nos levantarmos da cama exigirá um grande esforço. O hipocampo, que está relacionado com as emoções e a memória, também perde o seu volume. É normal que tenhamos falhas de lembranças, que soframos sem defesa e que fiquemos obcecados por pensamentos negativos

Como podemos enfrentar a anedonia e a depressão?

A Psicoterapia às vezes é usada sozinha para o tratamento dessas questões. Terapia cognitivo comportamental (TCC) é uma das abordagens terapêuticas apontada como eficaz no tratamento da depressão. A Terapia Cognitivo Comportamental é uma forma de terapia focada no presente e na resolução de problemas. A TCC ajuda a pessoa a reconhecer o pensamento distorcido e depois a mudar comportamentos e pensamentos.

A psicoterapia pode envolver apenas o indivíduo, mas pode incluir outros. Por exemplo, a terapia familiar ou de casais pode ajudar a resolver problemas dentro desses relacionamentos íntimos. Terapia de grupo envolve pessoas com doenças semelhantes.

A depressão provoca sentimento de tristeza e/ou perda de interesse em atividades que em momentos anteriores traziam prazer. Pode levar a uma variedade de problemas emocionais e físicos e pode diminuir a capacidade de uma pessoa manter suas atividades normais no trabalho e em casa.

A depressão “não se cura” e não se enfrenta de um dia para o outro. Dessa forma, ela requer diversos enfoques dependendo da realidade de cada pessoa. Os medicamentos, as terapias, o apoio familiar e, além de tudo, os próprios recursos que cada pessoa pode usar são elementos fundamentais no tratamento. 

Dessa forma, não sentir para não sofrer não é um mecanismo adequado com o qual podemos viver. Ele permitirá que você vá sobrevivendo, mas estando vazio por dentro. Não deixe que você se torne um prisioneiro eterno do sofrimento. Se existe alguma coisa de positiva que podemos tirar da anedonia, é que a pessoa deixa de lado a capacidade de sentir. Dessa forma, estando “anestesiado” em relação à dor, é o momento de você se perguntar sobre o que você precisa. 

E aqui está a resposta: Você precisa que a tranquilidade e a felicidade voltem para a sua vida? Volte a criar ilusões consigo mesmo. Precisa deixar de ser prisioneiro do passado? Faça uma mudança rumo ao futuro. Precisa deixar de sofrer? Atreva-se a viver de novo, abra as portas do seu coração, permita-se ser feliz outra vez. 

Use esse texto para refletir sobre esses aspectos por alguns momentos de sua vida e sempre se lembre: VIVER É SENTIR EM TODA SUA INTENSIDADE. Seja no seu lado positivo ou negativo. A terapia pode ajudar você a melhorar, basta que você procure um profissional qualificado para tratar a questão. Cuide de si mesmo. Cuide de sua saúde mental. 

 

Referências:

  1. Artigos de saúde mental. Disponível em: https://amenteemaravilhosa.com.br/. Acesso em 27 de março de 2021.
  2. Anedonia: o que é, principais sintomas, causas e tratamentos. Disponível em: https://www.tuasaude.com/anedonia/. Acesso em 27 de março de 2021.
Letícia Januário Botan
Últimos posts por Letícia Januário Botan (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar