ansiedadeEstilo de vidaMundoSaúde

Coronavírus: saúde mental em tempos de quarentena e isolamento

A importância de manter o equilíbrio emocional durante a pandemia e quarentena

O Coronavírus (COVID-19) mergulhou todo o mundo na incerteza e as constantes notícias sobre a pandemia podem parecer implacáveis. E tão importante quanto o proteger o corpo, é cuidar da saúde mental e manter o equilíbrio emocional.

O vírus já está entre nós, a quarentena já foi determinada e não há mais como ignorar a situação. 

E como é comum em situações assim, temos acesso a uma infinidade de informações. Mas, de forma paradoxal, somos também bombardeados de desinformação e as chamadas “fake news”. 

Preocupar-se com as notícias é coerente e até mesmo desejável para estarmos em segurança, mas, para muitas pessoas, isso pode piorar os problemas já existentes. É muito para absorver.

O medo de perder o controle e se tornar incapaz de tolerar incertezas são características comuns de muitos transtornos de ansiedade. 

A ansiedade está relacionada com preocupar-se com o desconhecido, sempre esperando que algo aconteça. O surto de Coronavírus é basicamente a mesma coisa, mas em escala macro.  

Dessa forma, é mais do que compreensível que muitas pessoas com ansiedade  e depressão estejam enfrentando desafios nesse momento de pandemia e quarentena.

Vale lembrar que, de acordo com a própria Organização Mundial da Saúde, o Brasil é o país com o maior número de ansiosos em todo o mundo.   

A verdade é que surtos de doenças infecciosas, como o atual Coronavírus, podem trazer temor, afetando a saúde mental de muita gente, prejudicando diretamente a condição física. E a necessidade de isolamento acaba ampliando o problema.  

Embora seja muito importante manter-se informado e seguir as recomendações das autoridades, também existem muitas coisas que podemos fazer para apoiar e gerenciar nosso bem-estar e manter o equilíbrio das emoções durante o período de quarentena. 

Então, como podemos proteger nossa saúde mental durante a quarentena?

CORONAVÍRUS: COMEÇANDO PELO COMEÇO

Primeiramente, alguns esclarecimentos. De acordo com o Ministério da Saúde:

Coronavírus / Saúde Mental
Coronavírus / COVID-19

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.”

Em poucas semanas o vírus acabou se espalhando por todo mundo, motivo pelo qual a situação foi declarada como pandemia pela Organização Mundial da Saúde.

Considerando que a forma mais comum de transmissão é por meio de contato humano, foi inevitável incentivar o isolamento e, até mesmo, declarar quarentena em diversos locais.

Assim sendo, tanto quanto nos preocuparmos com nossa saúde física, precisamos aprender a lidar com os nossos sentimentos, emoções e medos durante esse período de afastamento social.

MANTENHA O EQUILÍBRIO EMOCIONAL

ENCARE A QUARENTENA COMO UM MOMENTO APENAS DIFERENTE

É claro que ninguém gosta de ser afastado da sua rotina, dos seus hábitos, de forma abrupta.

Pelos próximos tempos, passaremos muito tempo em casa e a maioria de nossas atividades sociais regulares não estarão mais disponíveis ou acessíveis. 

No entanto, mesmo que não tenha sido uma escolha, enxergar a quarentena decorrente do Coronavírus como um período diferente em nossas vidas, não necessariamente ruim, irá facilitar, e muito, a passagem desse período. 

Assim, quando aceitamos a vida como ela é, se torna muito menos doloroso aguentarmos esses momentos de provação. 

NÃO JULGUE AS PESSOAS, NÃO FAÇA SUPOSIÇÕES

O mundo inteiro está enfrentando o mesmo problema e, nesse momento, somos apenas seres humanos tentando lidar com os próprios medos e anseios. 

Por isso, não julgue as pessoas e não faça apontamentos sobre quem é o responsável pela disseminação da doença. 

Acredite: está sendo um período complicado para todos.

O Coronavírus pode afetar qualquer pessoa, independentemente de sexo, etnia ou sexo.

LIMITE AS NOTÍCIAS A QUE TEM ACESSO E SEJA CRITERIOSO COM O QUE LÊ

Todos nós queremos estar atualizados sobre o COVID-19, mas você precisa de um tempo de inatividade – especialmente do que está acontecendo no momento.

Determine um limite para a quantidade de tempo que você passa lendo ou assistindo coisas que não estão fazendo você se sentir melhor. 

Isso vale para jornais, revistas, programas de televisão etc. 

Se for possível, tenha um horário específico para checar as notícias. 

E, tão importante quanto o tempo despendido, é saber escolher as fontes. Infelizmente, várias informações equivocadas e sensacionalistas estão sendo divulgadas. 

Equilíbrio Emocional
Tome cuidado com as “fake news”. Elas podem afetar a sua saúde mental

Essas notícias, muitas vezes elaboradas de maneira maliciosa, com o intuito de espalhar o pânico, acabam atingindo o objetivo se nós permitimos. 

Por essa razão, procure fontes confiáveis, não acredite em tudo que lê: se uma notícia parece absurda demais demais para ser verdade é porque provavelmente não é mesmo. 

Além disso, tome muito cuidado ainda com teorias da conspiração. Elas estão mais fortes do que nunca. 

E faça sua parte: não compartilhe nada sobre o Coronavírus ou quarentena sem ter certeza da veracidade dos dados.

Falando em compartilhar informações…

DÊ UM TEMPO NAS REDES SOCIAIS PARA MANTER O EQUILÍBRIO EMOCIONAL E A SAÚDE MENTAL

As pessoas estão preocupadas com o Coronavírus. E é, de fato, um momento bastante complicado. 

No entanto, ficar falando sobre a doença o tempo todo pode acabar aumentando a sensação de medo e, até mesmo, aflorar o pânico em muita gente.

Isso pode ser chamado de gatilho, que é quando algo ou alguém desperta uma sensação ruim em outra pessoa piorando doenças já existentes, como a ansiedade e a síndrome do pânico. 

Pare de seguir contas e perfis alarmistas, faça o bloqueio de hashtags negativas e exageradas sobre o surto, silencie aqueles amigos que insistem em divulgar notícias equivocadas. 

Do mesmo modo, se for necessário, saia de grupos de Whatsapp. Seus amigos e familiares irão entender os seus motivos.

Procure fazer outras atividades como assistir filmes e séries, ler livros ou qualquer outra atividade que lhe dê prazer e não desrespeite os limites da quarentena.

Quarentena
Leia livros, assista filmes e séries. Mantenha sua mente ocupada com atividades que lhe dão prazer.

Mas, mesmo saindo dos grupos, não perca o contato com as pessoas. 

MANTENHA-SE CONECTADO COM AS PESSOAS QUERIDAS MESMO EM QUARENTENA

Envie mensagens de carinho para as pessoas, pergunte sobre como elas estão, coisas do dia a dia. Fuja dos assuntos sobre o COVID-19, quarentena, isolamento…

Esse tipo de comportamento faz um bem danado para quem recebe o afeto e também para quem o oferece.

Mantenha contato com amigos e familiares para manter a saúde emocional
Mantenha contato com amigos e familiares para manter a saúde emocional

Em tempos de proibição de contato físico, as demonstrações de afeto devem ser mais criativas! 

Assista filmes com seus amigos simultaneamente, cada um em sua casa. Faça chamadas de vídeo, envie mensagens de voz.

Cultivar as amizades é uma excelente forma de manter a saúde emocional. 

Lembre-se da famosa frase “nenhum homem é uma ilha”. O isolamento é apenas físico, ok? 

Ah, ainda sobre o físico, você está cuidando do seu?

MOVIMENTE O CORPO 

Já é mais que comprovado que fazer exercícios físicos produz um efeito benéfico na saúde mental e não seria diferente agora.

Mesmo se você estiver confinado em sua casa, ainda poderá dar um passeio pelo jardim, subir e descer as escadas, vale até arrastar os móveis, colocar sua música favorita e dançar na sala!

Existem milhares de vídeos na Internet ensinando exercícios para fazer em casa. 

Não se esqueça que manter a saúde em dia, com a imunidade alta, é o único remédio contra o Coronavírus até o momento. 

CUIDE DA SUA SAÚDE, MAS NÃO EXAGERE

A frase acima pareceu estranha, não é? 

A questão aqui é que é sim fundamental cuidarmos da higiene para evitarmos a contaminação pelo vírus. 

Mas isso não significa que você precise esfregar as mãos até se ferir. 

Siga as instruções das autoridades, mas sem exageros
Siga as instruções das autoridades, mas sem exageros

Tampouco utilizar e estocar galões de álcool em gel em casa: esse comportamento além de ineficaz, demonstra ainda egoísmo e falta de empatia com o próximo.

Dessa forma, siga as determinações que os médicos e o Ministério da Saúde estão passando, mas não fique 24 horas por dia pensando nisso. 

Isso pode acarretar em dificuldade de manter o equilíbrio emocional e também em prejuízos físicos.  

Aprenda o que é necessário sobre a prevenção da doença e siga em frente. 

MANTENHA OU INICIE SEU TRATAMENTO PSICOLÓGICO

Em decorrência da real necessidade de isolamento, diversos serviços estão sendo cancelados ou adiados, afetando muitos atendimentos presenciais, incluindo os psicológicos.

Mas isso não é motivo para pânico, ok?

Existem alternativas para continuar ou iniciar um tratamento psicológico e a mais acessível e prática é, sem dúvidas, a realização de consultas online.  

Por meio de videoconferência, psicólogo e paciente se veem e se ouvem como se estivem em um mesmo ambiente.

Além da nítida vantagem no que diz respeito à proteção em relação ao Coronavírus, essa modalidade de consulta ainda te permite fazer a terapia de onde você estiver, no horário que melhor lhe atender. 

Por isso, converse com seu psicólogo para que juntos, vocês encontrem o melhor caminho. Cuidar de sua saúde e manter o equi

Se quiser iniciar um tratamento, conheça os nossos profissionais e escolha o mais se encaixar no seu perfil. 

A pandemia do Coronavírus irá passar e precisamos entender que nós continuaremos. Cuide de você para que os danos sejam mínimos, físicos e mentais. 

E não se esqueça: juntos atravessaremos esse momento da melhor forma possível


Referências

Cruz, J. R., P. C. Alberto-Filho, and E. M. Hakamada. “Benefícios da endorfina através da atividade física no combate a depressão e ansiedade.” Revista Digital 18 (2013): 179.

Veigas, Jorge, and Martinho Gonçalves. “A influência do exercício físico na ansiedade, depressão e stress.” Portal dos Psicólogos (2009): 1-19.

Psicologia Viva
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar