Desenvolvimento pessoal

Você sabe reconhecer suas emoções? 

Emoções são estados mentais que resultam de mudanças no organismo em função de mudanças percebidas no ambiente. Esses estados mentais direcionam o nosso comportamento visando aumentar nossa capacidade de se adaptar às mudanças no ambiente.

Essa influência das emoções sobre o nosso comportamento possui uma função biológica adaptativa e, por isso, a capacidade de sentir emoções foi selecionada pela pressão do ambiente durante a história evolutiva da nossa espécie. Embora nem sempre as emoções nos levem às melhores ações possíveis dentro de um contexto, de uma maneira geral as emoções são úteis e nos ajudam a nos proteger.

Por exemplo: quando sentimos nojo do cheiro de um alimento isso pode ocorrer porque o alimento está estragado e sentir essa emoção evita que você consuma algo que possa te fazer mal. Mas quando você sente medo até de estar na presença de outras pessoas e de interagir com elas, como acontece com pessoas que possuem fobia social, claramente essa emoção não te leva a um comportamento razoável não é mesmo?

As emoções mais comuns

Existem pelo menos 6 emoções básicas encontradas praticamente em todas as culturas humanas no mundo:

  • Raiva,
  • Nojo,
  • Tristeza,
  • Surpresa,
  • Felicidade,
  • Medo.

Todas estas emoções são facilmente reconhecíveis na face humana.

Todas as emoções possuem como característica o fato de serem iniciadas rápida e espontaneamente, resultarem de uma interpretação automática do ambiente e durarem relativamente pouco tempo.

Vamos conhecer um pouco mais sobre cada uma delas?

Surpresa

A Surpresa é um breve estado mental e fisiológico, uma resposta de sobressalto experimentada por animais e humanos como resultado de um evento inesperado. Ela pode ser neutra/moderada, agradável, desagradável, positiva ou negativa. Essa emoção pode ocorrer em níveis variados de intensidade, variando de muita surpresa, o que pode induzir a resposta de luta ou fuga, ou pouca surpresa que provoca uma resposta menos intensa aos estímulos.

A principal função biológica da surpresa é interromper uma ação em andamento e reorientar a atenção para um novo evento, possivelmente significativo. Há um redirecionamento automático do foco para os novos estímulos e, por um breve momento, isso causa tensão nos músculos, principalmente nos músculos do pescoço.

À medida que os indivíduos se acostumam a tipos específicos de surpresa, com o tempo, o nível de surpresa diminui de intensidade. 

Nojo

O nojo é uma resposta emocional de rejeição ou repulsa a algo potencialmente contagioso, ofensivo, desagradável ou perigoso. O Nojo é experimentado principalmente em relação ao sentido do paladar (percebido ou imaginado) e, secundariamente, a qualquer coisa que cause um sentimento semelhante pelo olfato, tato ou visão.

Pensa-se que o nojo tenha suas origens (e seja idêntico em certos casos) em reações instintivas que evoluíram como parte da seleção natural para comportamentos que ajudavam na proteção contra envenenamento alimentar, exposição ao risco ou infecção.

Existem estímulos que nos causam nojo independente da cultura que fomos educados, não por acaso sentimos repulsa a tais estímulos, pois eles podem potencialmente transmitir infecções. No entanto, como o nojo é parcialmente resultado do condicionamento social, existem diferenças entre diversas culturas sobre o que pode ser considerado nojento. Isso significa que práticas vistas como aceitáveis em algumas culturas podem ser vistas como nojentas em outras culturas.

Medo

O Medo é uma sensação que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por sentimento de ameaça, tanto fisicamente como psicologicamente. É também uma reação obtida a partir do contato com algum estímulo físico ou mental (interpretação, imaginação, crença) que gera uma resposta de alerta no organismo.

A resposta fisiológica ao medo surge da percepção do perigo que leva ao confronto ou fuga da ameaça (também conhecida como resposta de luta ou fuga), que em casos extremos de medo (horror e terror) pode ser uma resposta de congelamento ou paralisia.

O Medo nos seres humanos pode ocorrer em resposta a certo estímulo que ocorre no presente ou na expectativa de uma ameaça futura percebida como um risco para si mesmo. O medo é julgado como racional ou apropriado quando é proporcional a periculosidade do estimulo, como também o medo é julgado como irracional ou inadequado quando é desproporcional a periculosidade do estimulo. Um medo irracional é conhecido como fobia.

A resposta ao medo serve à sobrevivência, gerando respostas comportamentais apropriadas, por isso esta resposta emocional foi preservada ao longo da evolução. Pesquisas psicológicas e sociais também indicam que os medos dos indivíduos não dependem apenas de sua natureza, mas também são aprendidos por suas relações com o ambiente físico e/ou social, que orientam sua compreensão de quando e quanto medo sentir.

Tristeza

A Tristeza é uma dor emocional associada ou caracterizada por sentimentos de desvantagem, perda, desespero, desamparo e decepção. A tristeza pode se apresentar em diferentes graus de intensidade, variando desde a tristeza passageira, que normalmente dura minutos, horas ou alguns dias, até a tristeza profunda, que pode persistir por vários dias ou semanas, além de ser um sintoma de problemas mais complexos, como a Depressão.

A Tristeza é uma emoção básica e importante porque, em certa medida, pode ajudar a motivar pessoas a lidarem com suas situações. As pessoas lidam com a tristeza de maneiras diferentes e alguns mecanismos de enfrentamento incluem: obter apoio social e/ou passar tempo com um animal de estimação, criar uma lista ou participar de atividades para expressar sua emoção.

Além disso, alguns indivíduos, quando se sentem tristes, podem se excluir de um ambiente social de modo a dedicar algum tempo para se recuperarem do sentimento.

Raiva

A Raiva é uma das emoções mais polêmicas e reprimidas que existem.

Muitos são os caminhos que podem te deixar com raiva. Ela costuma surgir quando você se sente desrespeitado, frustrado ou injustiçado, assim como quando percebe outra pessoa sendo injustiçada ou maltratada. A raiva também pode resultar da percepção de que existe alguma ameaça a sua reputação, integridade física ou psicológica, e ser estimulada por preocupações ou memórias de experiências negativas.

É muito espontâneo expressar a raiva de forma agressiva, mas essa não é a única forma de expressa-la. Também podemos fazer isso de uma forma mais assertiva, e esta pode ser a opção mais saudável. Isso significa comunicar de forma clara e direta o que você está sentido e deseja, mas sem se exaltar ou agredir outra pessoa. Essa é uma habilidade social que pode demandar prática para ser bem desenvolvida. 

A raiva é uma emoção saudável, apropriada e útil em várias circunstâncias. Essa emoção pode te motivar a tomar iniciativa, proteger-se, proteger outra pessoa, preservar seus direitos ou alcançar suas metas. Se ela é saudável ou não depende da intensidade, frequência, contexto e as consequências que ela traz.

Felicidade

A Felicidade é um estado durável de plenitude, satisfação e equilíbrio físico e psíquico. A Felicidade é um estado emocional que vai desde o contentamento até a alegria intensa ou júbilo. A felicidade tem ainda o significado de bem-estar espiritual ou paz interior.

Sentimos felicidade quando vivemos experiências de prazer e propósito ao longo das nossas vidas. A proporção ideal entre experiências de prazer e propósito varia de pessoa para pessoa, mas as pessoas costumam se sentir felizes quando existe algum tipo de equilíbrio entre essas experiências.

Pessoas mais felizes tendem a ser mais saudáveis, viverem por mais tempo, terem mais amigos, serem mais produtivas, generosas, criativas e resilientes.

Então, cultivar a felicidade na sua vida também pode te trazer outros benefícios, além da própria sensação boa de sentir-se feliz. Muitos fatores podem te ajudar a manter sua felicidade, como criar e manter boas amizades, demonstrar sua gratidão para essas pessoas, praticar atividades físicas, dormir bem e ser benevolente com os outros. 

Considerações finais

Ao estudar a experiência humana, bem como o comportamento humano, a Psicologia não pode negligenciar a importância das emoções na explicação do seu objeto de estudo. As nossas emoções influenciam diretamente no nosso comportamento e por isso saber reconhecer suas emoções é o primeiro passo na caminhada para o autoconhecimento.

Entendeu por que as emoções são tão importantes? Então me conta, que emoção você está sentindo agora?

 

Referências Bibliográficas:

John Casti; Complexificação: explicando um mundo paradoxal através da ciência da surpresa. Nova York: HarperCollins, 1994.

Curtis, V. “Sujeira, doença e nojo: uma historia natural de higiene”. Jornal de epidemiologia e saude comunitária. 61 (8): 660-664. doi : 10.1136 / jech. 2007.062380. PCM 2652987. PMID 17630362.( 2007).

LEUCAS, David. AS 7 EMOÇÕES UNIVERSAIS E SUA EXPRESSÃO NA FACE HUMANA. Clue-lab, 2018. Disponível em: https://clue-lab.com.br/2018/01/04/as-7-emocoes-universais/. Acesso em: 20 out. 2020.

Fernanda Larissa C. da Silva
Últimos posts por Fernanda Larissa C. da Silva (exibir todos)
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar